Primeiros dias (denovo)

segunda-feira, 30 abril, 2007

Já faz uma semana que os franceses chegaram. Tivemos a festa “do caralho”, que foi muito mais gente do que a gente podia imaginar, o que fez com que a bebida terminasse em menos de 30 min de festa e que o som não deu pro gasto, mesmo depois que alguém apareceu com um amplificador extra.

Além disso, recebemos uma parte dos livros para os próximos dois meses de estudo do famigerado tronco comum, o que foi algo um pouco assustador, vide a foto abaixo.

Ainda faltam os livros de economia e química e francês. Não vamos ter química agora, me confundi porque vi que a gente vai ter amphi 0 de química… Aliás, vamos ter amphi 0 de mecânica, biologia e desconfio que de outras coisas também.

Até agora tivemos várias apresentações de coisas sobre a vida na polytechnique e pós polytechnique, coisas do exercíto, do esporte, etc. Aliás, ser pego de surpresa para fazer sentido é muita sacanagem, deviam avisar isso pros estrangeiros antes! Na primeira apresentação eu já cheguei “atrasado”. Começava as 8:30 e eu cheguei às 8:30, mas aí eles vieram com uma história que nos amphis tem que chegar 10 minutos antes… Acabaram anotando meu nome lá num papel e no final leram o nome de todos os atrasados e disseram que a gente tinha que ir falar com os chefes de seção para apresentar uma justificativa. Estou seguindo a dica dos brasileiros veteranos e estou esperando que ela venha falar comigo. Pelo menos não tem ninguém pegando no meu pé para que eu corte o cabelo, como é o caso de outros brasileiros.

Uma apresentação realmente legal que teve, foi uma apresentação dos binets dos alunos. Os binets são grupos de alunos com um interesse comum e que, quando são aprovados pela kes, recebem financiamento. Por exemplo, existe o binet latino, o binet circo (que fizeram aquela apresentação que eu assisti), binet teatro, binet photo (que tiraram as fotos que eu coloquei da passagem da bandeira), etc etc etc. Existem muitos binets mesmo! No dia, apenas alguns poucos se apresentaram. A maioria das apresentações começavam com um vídeo que mostravam coisas que já tinha acontecido etc… Durante o vídeo do binet point gamma, que organiza a festa point gamma, eu comecei a pensar no tanto de coisa que essa escola já me proporcionou em três meses, e no tanto que ainda estava por vir… O estágio “pedreiro” e o estágio científico. Em como aqui a gente tem muita oportunidade e muita coisa de mão beijada, tudo isso acompanhado de um ensino de alta qualidade, bolsa de estudos, aulas extras para quem precisar, etc. Percebi que eu ganhei na loteria quando fui aceito. Por falar em sorte, faltou luz de ontem pra hoje e eu consegui acordar sem despertador antes da aula, mesmo tendo ido dormir muito tarde. Ainda cheguei denovo na hora exata marcada mas não teve problema, não sei se simplesmente por sorte ou se por eu ter tido a sorte de ter encontrado e acompanhado uma francesinha que tá com a perna quebrada.

Fora isso tudo, tivemos Amphi 0 de matemática e Amphi 0 e 1 de computação. Amphis são as aulas em umas salas bem grandes, e enquanto a gente estiver no tronco comum, isso significa aula com ≈500 alunos. Amphi 0 é tipo uma aula introdutória, em que pelo que eu entendi ele deveria apresentar um pouco o que será o curso. No de matemática o professor deu uma introdução sobre a área de pesquisa dele (eq. diferenciais p-ádicas), mas para isso ele realmente tentou explicar bastante coisa sobre números p-ádicos, os principais teoremas, etc, o que fez a aula parecer uma aula trote. O pior foi que eu achei muito legal! Depois ele falou um pouco sobre as pesquisas em matemática em geral, medalha fields, etc. Em computação, estou vendo denovo o começo, com a diferença que essa vez está sendo em java. Pensei que não iria ver nada de novo, mas eis que na primeira aula o professor aparece com umas funções Σ e Θ para descrever o funcionamento de um programa, chegando ao ponto de descrever um while como um limite.

Também gastei uma parte desses últimos dias com o planejamento para as férias. Iremos para Barcelona e Roma. Detalhe que a gente comprou a passagem Paris – Barcelona em um dia, no dia seguinte compramos Barcelona – Roma e só depois compramos Roma – Paris. Agora o plano é ir para Amsterdam e depois Bratislava para encontrar outros dois que já compraram a passagem para lá (e uma volta de Vienna Praga). Ontem a gente quase comprava a passagem de Amsterdam para Bratislava sem ter a ida para Amsterdam.

O Arthur fez uma página no Flickr. Coloquei o link no menu lateral. Acho que vou acabar fazendo uma também e vou começar a postar bem menos no blog.

Anúncios

Puta la wea

quarta-feira, 25 abril, 2007

A escola organizou uma pequena viagem para passar um final de semana com uma família em Lyon. Como tinha um número limitado de vagas, eles deram prioridade para o pessoal que não teve nenhuma experiência com famílias francesas e, depois deles, para o resto do pessoal que já tava por aqui quando eu estava em Villeneuve (sei lá porque).

Enfim, todos que foram para Villeneuve ficaram na merda, destinados a ficar sem os outros nesse final de semana. Eis que de quinta para sexta eu recebo um e-mail dizendo que uma pessoa desistiu e por isso quem respondesse primeiro poderia ir no lugar. Às vezes ficar até tarde no computador tem suas vantagens!

Chegamos em Lyon na hora do almoço e fomos direto para um pequeno buffet com uns vinhos muito bons. As famílias que nos receberam eram de ex alunos da polytechnique e nós os conhecemos nesse buffet, onde também assistímos uma apresentação sobre Lyon.

Vista de Lyon
Vista de Lyon da Colina Fouvière

Depois disso, passamos a tarde inteira em um passeio em Lyon, todos juntos acompanhando dois guias. A gente começou de Fourvière, de onde tinha uma vista de toda a cidade, a Basílica de Notre-Dame de Fourvière e um anfiteatro romano. Fomos descendo a colina, entrando em vários predinhos antigos para visitar. Durante essa visita, estava ocorrendo algum festival e tinha um monte de gente vestida como na época da idade média, dançando, cantando, fazendo alguma apresentação de teatro, lutando com espadas de madeira, etc… Terminamos o passeio na Chambre de commerce, onde assistímos uma apresentação muito sonolenta sobre… alguma coisa de Lyon.

Anfiteatro Romano
Anfiteatro romano

Música
Uma das coisas que a gente viu pelo caminho.

Opera
Perto do final do passeio a gente passou na frente da Ópera de Lyon, que vocês podem ver nessa ótima foto que eu tirei. Sério, é só olhar no caderno!

Depois do fim da visita, fui para a casa da minha família. Era um casal com um filho de uns 12 anos, que parecia até uma propaganda para vir estudar na polytechnique. Eles moravam em uma casa muito legal, em um lugar muito bonito, eram bem felizes, tinham um carro muito foda, já tinham viajado para um monte de lugar, etc… O polytechnicien atualmente é diretor da CPE Lyon, uma escola francesa que eu não conhecia mas que parece ser bem foda, tem até um ex-aluno que é prêmio Nobel!

Jantei e dormi lá. No outro dia, depois do café da manhã, fui tomar um banho de piscina aquecida, lá mesmo, no quintal da casa do cara, as 8h30 da manhã! Em seguida fui com eles para votar. Nada de fila, voto com papel e resultado no mesmo dia! Após essa parada rápida, fomos ao Parque da Tête d’Or, que é o maior parque urbano da França. Lá tinha um zoológico em que os animais ficavam todos juntos em um espaço bem grande e razoavelmente afastado do público. Tinha uma parte que tinha plantas de vários lugares do mundo…

Eleicao
Eleição na França: Tem um papel para cada candidato. A pessoa pega todos os papéis e um envelope, vai para uma cabine e coloca um dos papéis no envelope e esconde o resto, depois deposita o envelope em uma urna.

Fomos almoçar na casa da irmã do Polytechnicien com mais um monte de outros familiares. Sai direto do almoço para a estação de TGV para voltar para Paris. Voltei para a X depois de passear e jantar em Paris. Ah, lembrei agora que eu ganhei uma garrafa de um vinho bizarro em Lyon (pelo que eu entendi ele não é feito de uva, mas com a raiz de alguma coisa).

Ahhhh

segunda-feira, 23 abril, 2007

Estou precisando escrever outros dois posts, essa vez com conteúdo de verdade, ao contrário do anterior, mas estou sem tempo para escreve-los!

Propaganda da festa

Na folha branca tem escrito:

Première fête
“Do Caralho”
Aujourd’hui ce soir vers 22:00
Entre les bâtiments 73 et 74
Organisée par les élèves 2006 EV2

Os franceses chegaram hoje e, por isso, a gente resolveu organizar uma festa grande. EV2 são os estudantes estrangeiros… Como um dos organizadores tive que fazer essas folhas com as informações e colocar na porta de todos os prédios de alunos e, agora enquanto escrevo, estou selecionando uma parte das músicas que vão tocar na festa!

Ah, hoje a gente recebeu os livros que vamos usar no tronco comum, i.e., nos próximos três meses. São bem assustadores!

Férias Frustadas em Paris

quarta-feira, 18 abril, 2007

Calma, a minha semana de férias não chegou a ser ruim, mas passou muito longe do que eu imaginava que iriam ser minhas primeiras férias na Europa. Foi muito mal aproveitada em vários sentidos… Mas pelo menos eu descansei bastante.

No primeiro domingo a gente fez um grande piquenique no Parc de Sceaux. Foram quase todos os brasileiros que ficaram por aqui, inclusive uns veteranos que não estão mais na école e acho que até gente que nunca foi da école… Além disso, tinha algumas poucas pessoas de outras nacionalidades. O piquenique foi muito bom, com comida de sobra e muito, muito vinho! O lugar era extremamente bonito e, até agora, foi o lugar mais bonito que eu vi em Paris, e olha que eu só vi uma parte dele. Tá, na verdade não fica em Paris, fica apenas na île-de-france, mas é mais perto de Paris que a Polytechnique.

Moulin Rouge

Em outro dia a gente fez um churrasco aqui na école, na beira do lago. Foi bem legal, tinha bastante gente e a carne tava muito boa e a gente só terminou quando anoiteceu, o que aconteceu só depois das 20h. No domingo eu sai com um casal amigo dos meus irmãos e uns amigos deles que tavam por aqui fazendo turísmo. Tive que encontrar com eles na metade do passeio deles, o que é foi meio difícil já que eu não tenho celular e descobri na hora que não dá para ligar à cobrar para telefone celular, acabei tendo que comprar um cartão telefônico que custou os olhos da cara. A gente deu umas voltas pelo Montmatre, o quartier que tem o Moulin Rouge. Depois, já de noite, fomos fazer um piquenique em um gramado pertinho da torre Eiffel! Escutei bastante cearês nesse dia. Voltei em pegando um dos últimos RER… Isso é uma das coisas foda por aqui, a gente não pode voltar muito tarde! Quando eu chego na Polytechnique, que estou indo para o meu quarto, escuto uma música bem alta. Puta merda, eu tinha esquecido do aniversário de um dos russos. Resolvi ir direto pra lá. Quando eu chego, simplesmente todo mundo já tinha ido embora e só tinha sobrado alguns russos… Para não perder a viagem, resolvi ficar pra tomar umas e, depois disso, acabei ficando muito tempo conversando com eles. Descobri que novela brasileira também passa na Rússia!

Fora isso, eu andei de bicicleta, fui a Paris algumas vezes (mas sem ser para fazer turísmo), estudei um pouco, comprei uma máquina fotográfica, descansei bastante… Ah, e como previsto, na quinta feira a gente se mudou, mas isso é assunto para o próximo post!

O Raul escreveu um post descrevendo como está a vida dele por aqui. Atualizei o post anterior e o post que eu falei da apresentação do binet circo com fotos.

Passation du Drapeau

Na sexta dia 30/03 (pois é, to bem atrasado com os posts) teve uma cerimônia muita louca aqui, a “Passation du Drapeau”. Para quem ainda não sabe, a École Polytechnique é uma escola militar. A escola tem uma bandeira que fica “nas mãos” dos alunos de um ano, e todo ano eles passam a bandeira para o ano seguinte. Fui assistir só para conhecer como eram os eventos militares por aqui, já que eu imaginei que devia ser muito chato. Não foi! A parte militar foi bem mais legal que eu imaginava, apesar que uma hora encheu o saco de tanto que o pessoal levantava e abaixava a espada.

Passation du Drapeau

No meio de cerimônia veio o inesperado. Do nada começa aquela música de casamento (Marcha Nupcial do Felix Mendelssohn) e entra um carro todo acabado com umas latinhas penduradas atras. O carro dá uma volta no pátio no meio de todos os militares e alunos, que continuam imóveis, e para bem no meio. Desce algumas pessoas incluindo uma loira muito gostosa com um vestido branco minúsculo. Eles vão até a frente de uns 3 militares que tavam plantados bem no meio do pátio e celebram um casamento… Após o casamento, a mulher começa a fazer um strip! Ela começou a dançar se esfregando nos militares e foi tirando a roupa. Logo em seguida ela foi até os alunos e passou pelo meio de alguns felizardos dançando. Na verdade ela não chegou a tirar tudo, mas foi quase! Depois disso entrou uns caras correndo munidos com um negócio que soltava jatos de ar. Eles iam passando na frente dos alunos e mirando nas bicornias (o chapeuzinho ridículo do uniforme) e de vez em quando voava uma de algum aluno que não tinha segurado. Isso tudo aconteceu sem nenhuma interferência dos militares! Após essa cena, tudo voltou ao normal e a cerimônia continuou. Depois os veteranos me explicaram que tem um tempo reservado para uma “brincadeira” dos alunos, mas que é um grupo muito pequeno que organiza e eles não contam para ninguém, de forma que quase todo mundo só descobre na hora.

Passation du Drapeau
A bandeira

Quando a cerimônia terminou, foi o momento do banquete. Muita comida boa de graça! Enchemos o bucho e só depois de satisfeitos descobrimos que a gente não podia ter comido os aparitivos, era só para o pessoal envolvido na cerimônia e familiares. Depois disso tudo, fomos fazer uma festa de aniversário super rápida para um dos bixos brasileiros, porque mais tarde tinha uma festa no Bôbar!

No dia seguinte, fomos a mais uma visitinha da escola. Fomos visitar a universidade de Sorbonne, que foi uma visita muito chata. Algum tempo depois dessa visita, tínhamos outro passeio de Bateau Mouche no Seine com a escola. Como sempre, o deslocamento era por nossa conta. Uma parte do pessoal resolveu ir a pé e eu fui junto. No meio do caminho a gente encontrou um pessoal na calçada com umas plaquinhas escrito “Free Hugs“. Depois de pensar um pouco resolvemos fazer um tchu-tchu em um deles. Ele ficou meio assustado mas no final comprimentou todo mundo! Foi bem engraçado. Continuamos a caminhada para o bateau mouche, que foi maior do que a que eu tinha feito no dia que eu andei em Paris com a Yana e o Victor, mas a gente foi muito mais rápido. O passeio de bateau mouche foi legalzinho, mas eu esperava mais. Após o bateau mouche, resolvemos ir jantar em algum lugar. No caminho, encontramos mais um cara com uma placa de Free Hugs! Fizemos tchu-tchu denovo e logo depois que terminamos, o cara saiu correndo!! Faltou alguém ter filmado a cena. Decidimos comer um fondue no quartier latin. 8 brasileiros, 3 romenas, 2 russos, 1 iraniano e 1 chileno e 300 euros de conta! O fondue de queijo era realmente muito bom, mas o de carne deixou a desejar. Foi um jantar muito legal e longo.

Pessoal, desculpa mas eu tava meio sem tempo para atualizar o blog e, quando eu tinha tempo, não tinha ânimo. Queria agradecer ao pessoal que ta visitando o blog pela paciência. Para não fazer um post gigante, não vou colocar tudo que aconteceu até agora. Espero colocar o resto daqui a uns 2 dias.

Agora eu estou de férias. Por uma semana! Depois tem mais uma semana de aula do semestre d’accueil e depois começam as aulas de verdade. Aí ferrou, vai começar o tal do tronco comum que todo mundo diz que é muito foda (alunos estrangeiros, franceses e até os nossos professores). Durante a semana de férias, na quinta-feira, a gente vai se mudar pros quartos definitivos. Por isso e pela falta de tempo anterior, eu acabei não planejando nenhuma viagem. Lógico que eu ainda posso mudar de idéia e fazer alguma viagem curta, até porque a X ta parecendo uma cidade fantasma, mas a princípio eu vou ficar por aqui. Alguém tem sugestões de lugares para visitar ou coisas para fazer em Paris?

Na sexta feira do post anterior, tive que ir de tarde em Paris resolver umas coisas para a carte de sejour. Depois que a gente terminou isso, eu fiquei passeando um pouco em Montparnasse com 2 chilenos. Antes de voltar, a gente resolveu jantar. Fomos andando na direção do Mc Donald’s procurando alguma alternativa barata (pois alternativas existiam muitas). Encontramos uma pequena creperia de uma família colombiana bastante simpática! Tinha a vó, a mãe e o filho que tinha nascido aqui na França. A gente conversou bastante com eles… Foi um jantar muito bom e agradável.

Na sexta e no sábado semana, tava tendo uma competição esportiva das grandes escolas militares francesas aqui na polytechnique. O último dia foi o sábado. Fui de tarde assistir a final de vôlei feminino. Uma decepção… Aqui elas não usam shortinho colado! A equipe da polytechnique, com uma brasileira e uma mexicana, apesar de jogar mal ganhou muito fácil. Depois foi a final de vôlei masculino. Foi impressionante a diferença de nível. A partida de vôlei masculo em alguns momentos dava pra enganar e você realmente achar que estava assistindo uma partida profissional! Tinha um pessoal que jogava muito, incluindo um brasileiro que já tinha participado no ano passado, quando colocaram uma bandeira do Brasil no alto do ginásio para a final mas que está lá até hoje. Depois que colocaram essa bandeira do Brasil, acabaram colocando a de outros países também, todas do mesmo tamanho, exceto a do Brasil que é maior e fica no meio! Enfim, a partida foi muito disputada mas a polytechnique perdeu :(

Time feminino
Time feminino da Polytechnique

Time masculino
Time masculino da Polytechnique

Final masculina - Bandeira do Brasil
Durante a final masculina – Reparem na bandeira do Brasil

O interessante é que durante as duas partidas, que ocorreram aqui na X, quase toda a torcida era contra nós! Todos das outras escolas torciam pela escola que tivesse jogando contra a gente.

Pouco tempo depois da final de vôlei, teve a premiação de toda a competição. O grand hall ficou lotado de gente de uniforme. Cada escola com um uniforme diferente. Deu pra ver que o nosso uniforme é um dos melhores, ainda mais quando está sem o chapeuzinho ridículo, o que era o caso. O ruim disso é que eu não vi o quão ridículo é o chapéu das outras escolas. A gente foi a escola que ganhou mais prêmios. Depois que a premiação terminou, ficaram fazendo umas demonstrações de taekwondo, sexo explícito luta greco-romana e embaixadinha. A demonstração de embaixadinha era um negócio surreal! Tinha 3 caras fazendo coisas do nível das propagandas da nike. Imagina ver isso de perto, sem cortes e por bastante tempo! Depois entrou umas 2 ou 3 pessoas de uniforme que tavam assistindo para levar uns dribles deles. Foi algo muito louco e indescritível! Pena que ninguém filmou.

Na terça-feira de noite, todo mundo foi à Maison des X, em Paris, para encontrar nossos parrains (padrinhos). Na verdade a gente têm vários padrinhos, mas esses são pessoas que já se formaram. O meu não foi! Acabei conversando com os outros que ficaram na merda e com uns outros veteranos aleatórios, que não eram padrinhos de ninguém.