Fim do “primeiro” ano.

terça-feira, 17 julho, 2007

Acabei sem postar nada aqui no blog (apesar de ter colocado algumas fotos no flickr) sobre a Remise de Bicornes, que ocorreu no dia 28 de junho. Esse é o primeiro evento em que a gente usa o GU (que acabei de descobrir que é uma sigla para Grand Uniform). Os bixos vão com o uniforme incompleto, sem o chapéu (bicorne) e sem a espada (tangente). A espada, pelo que eu estou entendendo, a gente só recebe no semestre que vem. Já a bicorne a gente recebe de um padrinho do ano anterior, escolhido por nós, na tal da Remise de Bicornes. O evento até que foi bem simples: Teve uns discursos, depois a gente se ajoelhava, recebia a bicorne e um código de honra, depois mais um pouco de discurso e de repente acabou subitamente e todo mundo foi correndo para um lugar em que eles enchiam as bicornes com champagne para a gente beber… Depois o meu padrinho, que é um nordestino que estudava física na usp, descolou uma garrafa de champagne pra mim. De lá fomos para “une boîte très très classe” ao lado do Louvre, segundo um jornalzinho dos alunos da polytechnique. Não consegui descobrir quanto custava para entrar, pois para a gente foi de graça, mas achei no site o preço das bebidas: 11/13€ um coquetel e 180€ a garrafa mais barata de qualquer bebida.

Depois disso começou a maratona de estudo alucinada. Na última semana a rotina foi terrível. Ficamos estudando juntos o tempo todo, logo depois de terminar uma prova até o horário de dormir para a outra prova, com direito a intervalo apenas para almoçar e comer alguma besteira para passar a fome de noite. O resultado foi quase todo como eu esperava, o que aconteceu de bom foi que eu fui bem na prova de economia, o que era uma incógnita completa, e que eu não fui tãao mal na prova de matemática aplicada, graças à sorte de ter resolvido um exercício que eram três questões da prova, na noite anterior. Diria que minha nota final pode ser descrita por uma gaussiana com esperança um pouco acima da média, ou seja, estou achando que vou passar.

Com o fim das provas a única coisa que melhorou foi não ter mais preocupações, porque continuei com um monte de coisas para fazer e continuei dormindo pouco. O dia 14 de julho, dia em que a França comemora a queda da bastilha e que eu comemorei o primeiro dia de férias, foi bem longo… Acordei cedo e fui para Paris assistir o desfile do 14 de julho, mas não consegui ver muita coisa porque tinha muita gente. Depois fiquei a tarde inteira passeando com o Arthur e a Marina (uma amiga do Arthur que está passeando por aqui). Dormimos um pouco em uma praça e acordamos com um mendigo louco que falava sozinho por perto. Tudo isso enrolando para um piquenique que tinham marcado no gramado da torre Eiffel no começo da noite. Quando finalmente fomos para as próximidades da torre Eiffel, estava tendo uns shows no Champ de Mars e estava tudo lotado! Passamos muito tempo para conseguir encontrar um veterano, mas não conseguímos encontrar ninguém do tal piquenique e ficamos passando fome. Depois que os shows de péssima qualidade terminaram (aparentemente tiveram uns legais antes de eu chegar) teve uma queima de fogos de artifício, que eu assisti embaixo da torre Eiffel e durou uns 23 min. Os fogos eram todos sincronizados com a música que tocava. O estranho é que as músicas, pelo menos a maioria, eram trilhas sonoras de filmes! Por exemplo, tocaram a do Star Wars e a do James Bond.

Depois disso, encontramos outro grupo de brasileiros que também não tinha achado o pessoal do piquinique. Fomos obrigados a virar a noite em Paris porque já não tinha mais RER. Isso é uma das coisas fodas de morar aqui na baixa da égua. Acabamos comendo em uma pizzaria em que fomos muito mal atendidos e depois ficamos conversando até amanhecer para poder voltar para casa.

Viajo amanhã cedinho para Barcelona e ainda não arrumei minha bagagem. Só temos alguns dias de albergue em Barcelona e alguns dias em Roma, o que a gente vai fazer nos outros dias ainda não decidimos (talvez iremos para alguma cidade por perto…).

Anúncios

Férias

sexta-feira, 13 julho, 2007

juro que tento postar alguma coisa antes da viagem completamente desorganizada para Barcelona.

Na eminência da destruíção…

sábado, 7 julho, 2007

Segunda. Computação.
Terça. Matemática.
Quarta. Física.
Quinta. Matemática Aplicada.
Sexta. Economia.

Fatos:
1- Estou fudido e não tem jeito. E não adianta vir com papinho de “vai dar tudo certo”, “você é muito inteligente”, etc…
2- Todo mundo está fudido em matématica.
3- Eu estou no grupo dos que desistiram de matemática e estão tentando estudar mais as outras matérias para compensar a nota (o que só é possivel agora, no tronco comum).
4- Eu tô tranquilo porque já descobri que não é muito grave ser reprovado no tronco comum (vários brasileiros veterano foram).
5- No final do semestre d’accueil, o período em que a gente teve aulas de francês e algumas aulas de matemática, física e mat. aplicada. A gente fez uma prova de matemática aplicada que não servia pra nada. Recebi o resultado. Tirei 11,75… Isso mesmo, mais de 10! Pena que a nota máxima era cinqüenta.
6- A nota das provas só sai no próximo semestre. Espero conseguir esquecer delas durante as férias.