Um pouco de diversão

quinta-feira, 14 maio, 2009

Não comentei aqui, mas desde que eu cheguei, já fui em alguns shows (além de ter perdido dois que eu queria muito ir). O primeiro foi uma semana depois de eu ter chegado, na First Unitarian Church. O local, uma igreja, foi um dos fatores decisivos para eu decidir ir. Um dos shows que eu queria ter ido seria nessa igreja, e por isso acabei descobrindo que lá tem vários shows legais. Estava sem nada para fazer no final de semana, olhei no last.fm e havia esse show de três bandas que eu nunca tinha nem ouvido falar. Dei uma escutada rápida e resolvi ir lá. Havia muito mais gente do que eu podia imaginar! Na fila, que era bem grande, enquanto conversava um pouco, desobedeci uma lei bebendo, algo que só fui descobrir muito tempo depois: é proibido beber na rua. Todo mundo com quem eu falei já havia ido a pelo menos algum show de alguma das três bandas, enquanto eu mal sabia o nome delas! Acabei gostando muito das duas primeiras bandas (a ponto de comprar o cd da menor e baixar dois cds da outra), mas não gostei da banda principal.

No final de semana seguinte eu tentei ir para Washington D.C. e não consegui. Não consegui, mas fui em um show chamado “D.C. takes over Philly“, só com bandas de lá. Deviam ter umas 30, talvez 40 pessoas. E estou contando com os músicos! Acho que foi o show mais “garagem” que eu já fui (mesmo não tendo sido o menor). Foi bem legal, mas mais pela curiosidade. Apesar disso, duas das bandas agora fazem parte das músicas que eu escuto. Algo curioso: também foi em uma igreja! Mas essa vez eu só descobri chegando na porta e aparentemente ela não tem tradição de show.

Finalmente, o terceiro show eu já conhecia uma das bandas, o Electric Six, e fui por causa disso. E finalmente, não foi em uma igreja: essa vez foi em um bar muito legal. Não sei como, em um público de menos de 200 pessoas, encontrei por acaso um cara da upenn que eu conhecia de vista e a gente ficou conversando. A primeira banda foi escutável, mas a segunda foi bem ruim. E o pior, eles meteram o som no talo, quase me deixando surdo! Para terminar veio o Electric Six, mostrando que aqueles decibéis a mais eram desnecessários. (agora é um decreto nacional que eu desobedeço: o plural é decibels).

Franz Ferdinand tocando This Fire na Electric Factory em Philly.

Semana passada foi a vez do Franz Ferdinand, de novo! Essa vez, não sendo algo desconhecido, chamei o francês que está aqui comigo, e ele topou. O show foi muito bom, não teve nem comparação com os outros. Mas também não teve nem comparação com o que eu havia ido no ano passado! Apesar daquela descrição fraca que eu fiz no ano passado, aquele show foi um dos melhores que eu já fui. Essa vez não havia gente suficiente para lotar o lugar, o pessoal não estava tão animado, um dos guitarristas estava com um talo na perna e teve que ficar encostado em um banquinho a maior parte do show, a banda que abriu o show não era boa… Mesmo assim o show foi muito, muito bom!

Franz Ferdinand tocando The Dark Of The Matinée no festival Inrocks no La Cigale em Paris.

Nem tudo são shows… No final de semana retrasado, fui em um churrasco com a Mirella, a irmã da esposa do vizinho da tia do primo do meu amigo. Tá, a relação não é tão longe. Na verdade eu até já passei um Reveillon com a família dela (e ela? não lembro…). Com isso comecei a conhecer um grupo grande de brasileiros. Na quinta-feira seguinte foi o aniversário dela e lá estava eu de novo. Esse sábado saí com o pessoal. Fomos no Rittenhouse Row Spring Festival e, de lá, imendamos um churrasco meio inesperado (uma das pessoas estava convidada e deu um jeito de levar os outros).

Anúncios

Aniversário

domingo, 16 novembro, 2008

Pois é, mais um… No dia eu acabei comemorando sozinho mesmo. Fui no show do Franz Ferdinand!

Já tinha tentado ir quando eu estava no Rio, mas o Arthur, que iria comigo (na época eu não ficava indo sozinho em show), ficou enrolando para dizer se ia ou não e, quando finalmente ele disse sim, os ingressos tinham acabado. Pois essa vez eu decidi que ia de qualquer jeito e, quando fui ver, os ingressos também tinham acabado! Deixei uma mensagem no last.fm dizendo que estava procurando um ingresso e consegui comprar um pelo preço original. Apesar de todo esse esforço, eu nem estava esperando muita coisa do show não. Me surpreendi, foi muito, muito bom!

Esse mês tava com tudo para ser o mês dos shows. Olhei o calendário e era impressionante a quantidade de bandas que eu curto que iam/vão tocar, mas por motivos diversos estou desistindo de quase todos.

Voltando a história do aniversário, improvisei uma festinha no meu quarto mesmo no dia seguinte. Outra coisa que foi bem melhor do que eu esperava!

Fim de viagem

terça-feira, 26 agosto, 2008

Voltei ontem. Enquanto eu tento escrever alguma coisa, aí vão algumas estatísticas da viagem:

  • 21 dias/20 noites
  • 8 cidades (9 se contar com um dia em Paris)
  • 6 países (3 que eu não conhecia)
  • Nenhum controle de fronteira, apesar de ter cruzado umas dez.
  • 6 noites em albergue, 5 noites na casa dos outros, 4 noites em camping, 4 noites em trem e 1 em casa.
  • 19 trens, 18 estações de trens diferentes, um pouco mais de 70 horas de trem (contando só com hora de saída e de chegada)
  • 7 dias com shows, em três países e quatro cidades diferentes, mais de 50 bandas.

Berlin

sábado, 16 agosto, 2008

Só para dar notícias, no momento estou em Berlin na casa da tia do Arthur. O Arthur está fazendo o stage ouvrier dele aqui. Cheguei aqui ontem à noite, depois de uma longa viagem vindo de Arras. O show do Metallica foi uma grande aventura e merece um post bem escrito, por isso vai ficar para depois. Hoje, depois de andar muito em Berlin, fomos parar em um show underground de punk rock francês com cerveja boa e barata.